Life Style Notícias

9 Surfistas veganos e campeões mundiais que você precisa conhecer.

Para ser um surfista é preciso ter muito mais do que apenas talento, é preciso aprender a se conectar com a Mãe Natureza, entender o comportamento das ondas para ter sucesso.

Importante ser fisicamente apto e também ser mentalmente sadio, isso não resta duvida. Por isso que não é surpresa que tantos adeptos do surf optem pelo veganismo.

Dê uma olhada na lista abaixo e descubra um pouco mais sopre esses surfistas fantásticos:

Kelly Slater

No início deste mês de Janeiro, Kelly Slater – um dos maiores surfistas de todos os tempos – concordou em participar de um desafio vegano de duas semanas com a PETA para dar início ao Ano Novo.

Agora, quase quatro semanas depois, ele continua forte. “Veganizei há quase um mês. Estou me sentindo bem. Muito melhor a digestão e a variedade de alimentos saudáveis ​​que estou comendo “, escreveu recentemente em seu Instagram.

Em um vídeo feito no ano passado, Slater respondeu pelo YouTube a pergunta: Você já pensou em se tornar vegano? Ele respondeu que “está trabalhando nessa direção”, mencionando que os benefícios para o meio ambiente e sua própria saúde são inegáveis.

No vídeo, o campeão mundial 11 vezes revelou: “Eu não tomo leite há provavelmente 20 anos”. Os fãs que o seguem no Twitter e no Instagram sabem que há muito tempo se opõe ao consumo de leite , queijo e outros derivados animais.

John John Florence

John John Florence conquistou seu primeiro título mundial da World Surf League (WSL) em Portugal ao ser o campeão de 2016.

Em dezembro de 2017, ele fez isso novamente – ganhou alguns títulos mundiais consecutivos. A sua vantagem competitiva pode ser sua dieta a base de vegetais.

Durante uma entrevista, ele disse : Eu me tornei cada vez mais consciente sobre alimentação e os efeitos sobre o corpo humano. Todos os sinais apontavam para a ideia de que uma alimentação baseada em vegetais é muito superior a de produtos de origem animal.

Dane Siestas | John John Florence | CC BY 2.0 

Tia Blanco

Há quatro anos, a surfista Tia Blanco – vegetariana desde o nascimento – decidiu se tornar vegana. No ano passado, ela disse ao WSL : Me tornei vegana pelos animais.

Eu amo todos os animais e não vou come-los porque são meus amigos. Ela atualmente é classificada uma das 50 melhores surfistas do mundo, e acredita muito que seu sucesso recente está ligado ao veganismo.

Ela diz que perdeu gordura, ganhou músculo e tem mais energia. Desde que fez a mudança, estrelou vários anúncios da peta2 e até lançou seu próprio canal YouTube com culpa de veganos e uma conta no Instagram.

Ela também ganhou o prêmio do atleta mais amigável dos animais depois de estrelar uma campanha pró-vegana da peta2 e compartilhou várias entrevistas explicando porque ela está tão apaixonada por ser vegana.

“Eu amo muito os animais para contribuir com o sofrimento que eles podem passar” disse ela à Teen Vogue . “Do ponto de vista ambiental, a agricultura animal é a principal causa de extinção de espécies, zonas mortas no oceano, poluição da água e destruição de habitats”.

Alana Blanchard

Se você seguir Alana Blanchard nas mídias sociais, as chances são de que você certamente verá que ela é uma vegana orgulhosa.

Ela é uma das surfistas femininas mais populares do mundo, e não é tímida em exibir seu estilo de vida compassivo. “Uma das razões pelas quais sou vegana é porque amo muito os animais e nunca poderia imaginar ferir algum deles”, disse ela no Facebook .

Ela até explicou no Instagram que ser vegana a ajudou em sentir-se melhor durante a gestação:

Jack Freestone

Se Alana Blanchard é a rainha das surfistas defensora dos animais, Jack Freestone é o rei. Ele é o parceiro de longa data de dela e um autoproclamado ” Modelo vegetariano do Instagram“.

Desde a sua estréia no campeonato em 2015, as habilidades do Australiano só melhoraram, mostrando que não é preciso comer carne para ser um surfista com garra.

Nikki van Dijk

Todo vegano tem uma história do porque eu se tornou vegano. Mas a história da surfista Nikki van Dijk é diferente de qualquer outra pessoa. Em 2014, ela atingiu um recife de corais em Cloudbreak nas ilhas Fiji, resultando: 16 punções e cirurgia.

Ela teve apenas algumas semanas para se recuperar antes de seu próximo torneio, então temporariamente se tornou vegana para se curar do acidente. Ela disse à The Weekly Review : “Depois disso, pensei:” Espera, não preciso de nada no meu corpo que não precisa estar lá”.

Com o encorajamento de sua irmã que já era vegana – ela continuou a ser vegana.

A Australiana freqüentemente compartilha as fotos de suas refeições e passeios com sua amiga surfista Tia Blanco.

Dave Rastovich

De acordo com ESPN , Dave “Rasta” Rastovich se recusa a comer qualquer coisa com teve uma mãe ou possui um rosto. Mas sua alimentação é somente uma parte de seu estilo de vida ético.

O seu respeito pelos animais e pelo meio ambiente é bem conhecido. Ele tem sido um proeminente defensor dos golfinhos por algum tempo.

Em 2007 ele liderou um grupo de celebridades, músicos e colegas de surf em uma pacífica revolução para homenagear milhares de golfinhos abatidos a cada ano noTaiji, Japão.

Rob Machado

Rob Machado é conhecido por seus cabelos invejáveis, é um surfistas com o pé no ambientalismo, ele acredita que sua educação vegetariana abriu interesse na relação entre animais e o meio ambiente.

Ele disse a Tracks : Eu fui criado vegetariano, então eu estava sempre ciente de problemas [ambientais]. Na década de 80, não havia muitos vegetarianos, por isso estávamos na frente desse movimento.

“Agora, ele usa sua influência para desafiar os fabricantes, as empresas e a indústria do surf como um todo a se tornarem mais eco- amigáveis.

Machado … | Mikefairbanks | CC BY-SA 3.0 

Quando ele não está no oceano ou está tentando salvar o planeta, ele provavelmente pode ser encontrado desfrutando de uma de suas refeições favoritas: açaí na tigela.

Anna Ehrgott

“Surfista” é apenas um dos muitos títulos que você encontrará associados ao nome de Anna Ehrgott.

Ela também é fotógrafa , fabricante de sacolas, viajante do mundo, e também com um estilo de vida ético e empático. “Sou extremamente consciente da forma como eu me alimento. Eu nunca mataria um animal para o meu próprio consumo, portanto, também não posso pagar para que outra pessoa faça isso com um bicho”  disse ela a Andy +.

Sua empresa, Sagebrush Board Bags , é uma marca consciente que faz sacos para pranchas feitos de insumos reciclados – é ecológica, sem crueldade, resistentes e elegantes.

Via peta.org

Gostou? Comente 😉

Compartilhe com seus amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *