Notícias

Vegetarianos são chamados de missionários que apostam no terror para converter carnívoros

O jornalista Marcos Nogueira, da Folha de São Paulo, fez uma publicação em seu blog hoje (30), com o título: “Missionários vegetarianos apostam no terror para converter carnívoros.”

Logo ao início, faz indicação de outra publicação da Folha: “Vegetarianos deveriam ter regras mais flexíveis, defende pesquisador”, onde Alberto Giublini propõe que vegetarianos deveriam, ao se depararem em um churrasco, serem flexíveis e abrir exceção a fim de comer daquela carne.

O jornalista defende que vegetarianos tem vocação evangelizadora, diz que poucos perdem a oportunidade de fazer apologia ao estilo de vida vegetariano. Fala que há um intuito de elevação moral em um comparativo aos evangélicos, no entanto, é trocado apenas a palavra bíblia pela palavra espinafre.

Cita como em suas palavras a falange mais radical do vegetarianismo, os veganos, usam o terror para atrair fieis.

Diz que humanos são onívoros por questões sociais e biológicas – (Sim, ele cita que temos caninos para comer animais). E discorre falando dos termos que são usados como cadáver quando vegetarianos querem identificar algum produto [onde há um animal que foi morto] como hambúrguer por exemplo.

Entre outros argumentos um tanto despreparados, fala que é difícil ser vegetariano porque há a necessidade de conhecer todos nutrientes e ter acompanhamento profissional de médicos e nutricionistas.

Bom, contudo, o mais curioso é que além do discurso que todos os vegetarianos estão acostumados a ouvir, fazer uma publicação com argumentos tão assim, digamos, infantil, em um dos maiores jornais do país, pode querer dar indícios que o jornal aprecia a cognição do jornalista.

Na mesma medida que o cozinheiro amante das carnes diz que vegetarianos e veganos tem discurso inflamado, ele foi no mesmo tom. Mas com a diferença que ele, do outro lado da ponta, defende a morte de animais como meio alimentar.

Para rebater “a fala” do jornalista, não há a necessidade de entrar em abordagens espirituais, porque sim, há pessoas que não se alimentam de animas por esta razão.

Agora, será que o Marcos Nogueira, conhece os efeitos da alimentação com animais? Como por exemplo:

Desmatamento de florestas vitais para a sobrevivência (inclusive a dele) que são feitas na Amazônia para o pasto.

– O uso de milhares de hectares de terras férteis para plantação de soja com finalidade de fazer ração para o gado e industria pecuária.

– O uso assustador de recursos hídricos (média de 14 mil litros de água para um quilo de carne).

– Aumento do efeito estufa em função do metano liberado pelas vacas.

– Causas de doenças do coração, diabetes, inflamação no corpo, péssimo microbioma, mau funcionamento dos genes, entre outras doenças.

–  Que um animal com sistema nervoso central é capaz de sentir dor, e ter reações parecidas com a dele diante da morte.

E tudo isso em nome de não precisar ir ao médico, nutricionista, conhecer todos os nutrientes apenas por se alimentar de carne, ou quiçá, achar que um ser vivo possuidor de sentimentos merece respeito.

Vamos lembrar ao jornalista que quem come carne não deixa de ter anemia, nem ter problemas com nutrição de forma geral. A informação para com todos os alimentos que ingerimos deve ser de âmbito geral, e claro, todos devem procurar profissionais seja qual for sua dieta se assim preferir, carne não é, e nem nunca será sinônimo de saúde, na verdade é ao contrário por todas as questões supracitadas.

A diferença aqui, e que fique claro, não é uma questão de moral ou de imposição, é uma questão de ética e empatia.

Os veganos que vão mostrar a população através de seu ativismo que eles comem sim cadáveres, estão querendo mostrar algo que o Sr. também não percebeu ainda. Embora, como os animais não podem se defender, o Sr. pode continuar tranquilamente com sua necrofagia, ninguém irá proibi-lo disso, a não ser a inibição através de sua própria consciência.

_

Leitores, clique aqui para uma boa explicação sobre o humano ser herbívoro, ou onívoro.

Clique aqui para a publicação da Folha do jornalista Marcos Nogueira.

Clique aqui para a publicação da Folha do pesquisador Alberto Giublini que defende flexibilização de vegetarianos.

Comente, dê sua opinião 😉

Compartilhe com seus amigos

2 Replies to “Vegetarianos são chamados de missionários que apostam no terror para converter carnívoros

  1. Jornalista brasileiro sendo jornalista brasileiro…
    Em sua grande maioria, eles são assim, seja em economia, política ou qualquer outro assunto, dizem um monte idiotices, para defender o pensamento de seus patrões, que neste caso específico, é a favor de uma indústria que causa muita dor, sofrimento e morte à seres inocentes. Demonstra também, ser um grande covarde por não querer que o confrontem com a realidade de que ele come cadáveres. Entre evitar o sofrimento de um covarde imbecil, que não quer ter dor na consciência ao comer cadaver, tendo minutos de prazer, sem que um vegetariano o faça lembrar (que está comendo restos mortais de seres inocentes) e defender os que são são assassidos para que ele tenha este prazer, eu fico com a segunda opção.
    Diferentemente de religiosos, Vegetarianos e Veganos não defendem dogmas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *