Notícias

Por que ser vegetariano ajuda a salvar o planeta ?

Para muitos não é novidade todos os benefícios de ser vegetariano.

É sabido que melhora a saúde como um todo. Dois fatores básicos são a redução dos os níveis de gordura do sangue, e para a natureza, a diminuição do desmatamento na Amazônia (assim como em outros biomas) para a criação de gado.

A adoção ao vegetarianismo ou veganismo podem salvar milhões de vidas e bilhões de dólares. Foi o que revelou uma pesquisa feita ano passado pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, que analisou as duas perspectivas: saúde e meio ambiente (ler).



Os pesquisadores avaliaram quatro cenários diferentes com seres humanos consumindo diferentes quantidades de carne. Segundo o estudo, diminuir a ingestão do alimento poderia ajudar a evitar mais de 8 milhões de mortes em 2050. E seguir uma dieta vegetariana salvaria 7,3 milhões de vidas.

“O que comemos influencia grandemente nossa saúde e o meio ambiente. Dietas não balanceadas, como aquelas com baixa ingestão de frutas e vegetais e com alto consumo de carnes vermelhas e processadas, são responsáveis pelo grande peso sobre a saúde globalmente e na maior parte das regiões. Ao mesmo tempo, o sistema de alimentação é também responsável por mais de 1/4 de todas as emissões de gases do efeito estufa e, portanto, um dos principais motores da mudança climática. – afirmou Dr Marco Springmann, que coordenou o estudo.

Isso porque atualmente, a pecuária é a responsável por mais de 14% das emissões globais de gases do efeito estufa. E o desmatamento realizado para aumentar a produção de carne. Além disso, uma mudança nos padrões alimentares poderia significar uma economia de um trilhão de dólares anuais.

Ainda de acordo com os cientistas, valorizar os benefícios de uma alimentação vegetariana pode desempenhar um papel significativo na política pública sobre estas questões.

Em 2015, o relatório “Carne ao Molho Madeira – Como os supermercados estão ajudando a devastar a Amazônia com a carne que está em suas prateleiras” (ler), do Greenpeace, analisou políticas de compra de carne bovina e revelou que o desmatamento, o trabalho escravo e a violência no campo podem estar na mesa do brasileiro.



Precisamos de ainda mais pesquisas de grandes universidades e de órgãos importantes, elas não se baseiam no sofrimento animal porque este fator pode parecer secundário, embora não seja para a maioria de nós vegetarianos, mas essas pesquisas ajudam outras pessoas a compreenderem os impactos do consumo de carne na natureza e nelas mesmas.

Deixe seu comentário 😉

Compartilhe com seus amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *