Notícias

Navio com 27 mil bois é retido no Porto de Santos por ordem da Justiça

Marinha do Brasil, por decisão da Justiça Federal, retém no Porto de Santos, no litoral de São Paulo, um navio com 27 mil bois a bordo. A embarcação deveria seguir viagem nesta quinta-feira (1º) à Turquia, onde as cabeças de gado foram compradas, mas ativistas conseguiram uma liminar alegando maus tratos.

Entre 26 e 31 de janeiro, o cais do Ecoporto, na Marge Direita do complexo portuário, recebeu os animais que eram criados em fazendas no interior de São Paulo, distantes 500 quilômetros do litoral. A operação de embarque no navio Nada, o maior do tipo em operação no mundo, foi finalizada por completo na tarde de quarta-feira.

Trata-se da segunda operação com carga viva no Porto de Santosapós duas décadas, aproximadamente. Desde o início dos trabalhos, ativistas ligados à proteção animal alegam que os bois são vítimas de maus tratos. A prefeitura chegou a multar a Minerva Foods, responsável pelos animais, em quase R$ 1,5 milhão.

Operação embarcou 27 mil bois no Porto de Santos, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)
Operação embarcou 27 mil bois no Porto de Santos, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

Ainda na quarta-feira (31), uma liminar expedida pelo juiz Djalma Moreira Gomes, da 25ª Vara Civil Federal de São Paulo, obtida pelo Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, determinou que o navio fosse retido até que uma inspeção sanitária fosse feita. A vistoria foi realizada nesta quinta-feira, pela manhã.

A expectativa é de que o relatório seja entregue à Justiça até sexta-feira (2), quando o juiz deverá determinar ou não a liberação do navio. Pela ordem, a Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP), a autoridade marítima, impede a saída da embarcação, que permanece atracada no cais do terminal Ecoporto.

Até a publicação desta reportagem, a embarcação tinha previsão para deixar o Porto de Santos à noite, mas depende de autorização. Os termômetros da região marcam, aproximadamente, 30ºC. Antes da decisão judicial, a previsão era de que o navio deixasse o cais ainda durante a madrugada e, depois, no início da tarde.

Duas outras ordens judiciais, mas do Tribunal de Justiça de São Paulo, determinaram a suspensão dos embarques dos animais, mesmo após a operação já ter sido concluída, e, ainda, o desembarque de todos os bois que estão a bordo do navio. Não há informações de que as determinações serão ou não cumpridas.

Ativistas chegaram a cair no chão durante protesto no Porto de Santos, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)
Ativistas chegaram a cair no chão durante protesto no Porto de Santos, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

A operação com carga viva no Porto de Santos tem o aval da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), órgão que regula o setor, e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro). Ambos não constataram nenhuma irregularidades.

A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), a autoridade portuária em Santos, também não se opôs à operação de embarque de carga viva. A estatal é citada, pela União, no parecer judicial federal, e informou que foi notificada, mas somente se pronunciará sobre o caso ao fim do desenrolar do processo.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), como autoridade ambiental federal, e a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), representando o órgão ambiental de São Paulo, também foram procurados e informaram que não estão envolvidos na operação de embarque.

A Minerva Foods, por meio da assessoria de imprensa, informou que a exportação de bois vivos “é uma atividade regulamentada pelo Mapa e ressalta que, em seu processo, o manejo do gado segue todos os procedimentos adequados para preservar o bem-estar dos animais durante o embarque e no decorrer da viagem”.

Operação embarcou 27 mil bois em navio no Porto de Santos, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)
Operação embarcou 27 mil bois em navio no Porto de Santos, SP (Foto: Reprodução/TV Tribuna)

Via G1

Comente o que você acha disso

Compartilhe com seus amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *